Ir embora também é um ato de coragem

embora

Às vezes, simplesmente precisamos ir. Não há palavras certas quando decidimos partir. Não há frases que preencham o vazio ou amenize a dor de quem fica. Só que apesar de todo o julgamento, escolher partir nem sempre é covardia.

Pelo contrário, às vezes, ir embora também se trata sobre ter coragem. Porque ir significa desistir de muitas coisas essenciais. É abrir mão de uma história importante, de inúmeras lembranças e da companhia de sempre para todos os momentos. É sair da zona de conforto.

Ir embora também se trata de correr o risco de ver a pessoa que amamos sendo feliz com outra. Amamos sim, ainda existe amor quando partimos, mas entende-se que apenas amar não basta. O amor precisa muito mais do que amor para que dê certo. Então, desistir não é apenas sobre terminar uma relação, mas de deixar livre a outra pessoa para que ela procure a sua própria felicidade.

Eu sei, é hipocrisia dizer que isto se faz apenas pela outra pessoa, que não há um alivio em livrar-se de um sentimento pesado que se carregue, mas há também outro lado que não é contado sobre os que vão.

É difícil quando vem a vontade de abraçar a pessoa que desistimos e perceber que não podemos mais contar com ela. É complicado respeitar a distância, quando tudo o que se quer é manter a amizade e, saber se do outro lado está tudo bem. Inclusive, com o menor egoísmo do mundo, dói saber que, do lado de lá, há um sofrimento silencioso também, e que além de sermos os culpados, não podemos fazer nada a não ser fingir que esta dor não existe.

Porque desistir se trata também sobre ser solidário com quem se ama. Neste caso, se trata de entender que do lado mais racional deve vir a força para manter a distância, que é deste lado que precisa vir o equilíbrio para não ter recaídas. É driblar a saudade, e colocar na cabeça de todos ao redor que não tem tempo ruim na solidão que foi escolhida, é seguir sem arrependimentos. Há uma responsabilidade maior para quem decide partir.

Escolhe-se ir embora porque se entende que a outra pessoa merece mais do que está recebendo, mais admiração, mais carinho e mais consideração. Machuca saber que não é possível oferecer tudo o que a outra pessoa merece. O coração fica inquieto por perceber que não consegue suprir as necessidades do outro e, ao mesmo tempo, por sentir-se incompleto também.

Não há glórias quando decidimos partir, nem carnaval sem fim. É triste. O que acompanha a nossa escolha é a dor da culpa e a sensação que poderíamos ter feito diferente. O único sentimento bom que fica é a esperança de acreditar que no futuro, realmente, o sol voltará a brilhar para os dois. Que as escolhas dolorosas de hoje, são os caminhos certos de amanhã.

Ir embora não é fraqueza, nem covardia. Na verdade, deixar alguém que se ama para que encontre a sua verdadeira felicidade, é o ato mais corajoso que eu já vi na vida.

Espero que ele seja o seu grande amor

Young couple in love outdoor

Incomoda. Sei que agora é ele quem dorme na sua cama e quem brinca com o seu irmão. Imagino que será com ele que você terminará de olhar os nossos seriados e também realizará alguns dos nossos planos. Provavelmente, neste momento estejam falando das férias, daquele jeito empolgado que você fica quando as organiza. Se for, você deve estar com o seu sorriso de a-vida-é-um-pudim-gostoso, que eu conheço bem.

É estranha a sensação que a vida proporciona, de observar outra pessoa entrando na vida de quem se ama e sentir o gosto irrecusável de vê-la roubando – aos pouquinhos – um mundo que era inteiramente nosso, de sentir-se substituível.

Como faz para manter a compostura, enquanto se assiste – do lugar mais privilegiado da platéia – o pedaço mais especial e importante da vida, virando a razão de outra pessoa?

Dói. Claro que machuca, mas há um conformismo por trás disso. Eu sei, talvez ele seja mais pontual que eu ou te ame de um jeito mais harmonioso e se dê melhor com os seus pais. Talvez ele já tenha encontrado as coisas que eu nunca cansei de procurar.

Então, eu torço para que ele seja o seu grande amor. Para que um dia ele te conheça tão bem quanto eu, que repare nos seus gestos ao amar e que não trate os momentos como passatempos banais. Espero que ele também aprenda a reconhecer as suas palavras antes que você as diga e que entenda a complexidade e o privilegio que é estar com você.

Apesar do seu sorriso não ser mais meu, eu espero que ele aconteça todo dia.

Por isso, espero que ele também goste de olhar as estrelas, para que você não sinta falta disso e, que consiga – vez ou outra – te emocionar com alguma surpresa. Espero que ele nunca te faça sentir saudades do passado e que sempre te trate bem, porque eu viraria uma pessoa horrível se soubesse que um dia alguém te machucou. É que apesar das circunstâncias, ainda existe o cuidado de sempre.

Claro que me preocupo se ele também irá acordar mais cedo para fazer o seu café da manhã e se não te deixará passando frio nas noites de inverno. Eu quero ter certeza de que ele vai cuidar bem de você.

Diga para ele o quanto gosta de massagem e que odeia quando falam mal da sua banda favorita. Diga que não suporta injustiças e que ama convites para ir ao teatro. Diga para ele que odeia atrasos. Mencione todas as coisas que eu demorei em aprender, que causaram feridas no meio do caminho.

E torça muito. Torça para que ele tenha melhor abraço que o meu, melhor beijo e melhor sexo. Torça para que ele também encontre o melhor jeito de tirar um sorriso seu quando o mundo desabar. Torça para que ele sempre esteja aí, quando você precisar de alguém. Torça para que ele seja o seu verdadeiro amor…

Para que você não sinta saudades do meu amor incondicional, nas tardes de domingo.

Não seja mais um babaca

babaxa

Precisamos conversar sobre caráter, empatia e respeito. Tudo bem, se você gosta de ser um babaca, se está confortável com a imagem que construiu de si, mas não queira atrair alguém fingindo ser algo que não é. Mostre a sua cara para ela, logo de primeira.

Quando eu digo para não ser um babaca, não estou falando do seu senso de humor ou da sua forma de dançar, muito menos do seu jeito atrapalhado de conversar com ela. Ser babaca se trata de egoísmo, de deixar de lado a sua consideração por ela e de quanto as suas atitudes ou as suas palavras podem afetar de maneira negativa a vida dela.

Não trate com deslealdade alguém que abriu mão do seu orgulho para lhe dar um pouco de confiança. Porque cada relacionamento que se começa, seja namoro ou amizade, é um risco que se corre, logo, é um investimento. Porque, no fundo, nunca conhecemos as pessoas, mas fazemos questão de dar um voto de confiança para algumas.

Então você não precisa ser um babaca porque conseguiu se tornar algo para alguém. Não precisa magoar uma pessoa para se auto afirmar. Porque às vezes tirar o cadeado da porta é custoso. Aí quando, finalmente, ela decide abrir a porta novamente para alguém entrar, você se comporta como mais um.

Você pode até negar, mas se ela chorou por algo que você fez, você foi um babaca. Se ela se decepcionou com alguma atitude sua, você foi um babaca. Criar a condição de alguém se interessar por você e depois ignorar esta situação é agir como babaca. Enfim, babaca é quem brinca com os sentimentos dos outros.

Porque a babaquice nunca é exclusiva, ela sempre afeta a outra pessoa. Não fosse pouco, as cicatrizes deixadas por um babaca tornam a aproximação de novas pessoas mais difíceis. Será mais complicado para o próximo que quiser entrar na vida dela.

Por isso, não seja o babaca que a ilude. Aquele que um dia a ignora e no outro corre atrás. Não seja o babaca que a trata bem e lhe diz coisas bonitas apenas quando quer transar com ela e depois finge que ela é invisível.

Não seja o babaca que a trai. Aquele que fica se vangloriando das suas aventuras particulares para os amigos, enquanto ela fica em casa planejando o final de semana de vocês. Não escreva declarações hipócritas para ela no Facebook se na janela ao lado você está marcando encontros com alguma desconhecida qualquer. Não seja mais um cafajeste.

Não seja o babaca que a esconde. Aquele que não é capaz de levá-la para sair em lugares públicos ou de apresentá-la para os amigos. Seja o cara que tem orgulho de tê-la ao lado, perceba a sorte que a vida te deu por ela gostar de você. Acredite, muitos gostariam de estar no seu lugar.

Não se aproveite da boa vontade dela, nem faça pouco caso da confiança que ela depositou em você. Seja o cara que se importa, que liga para os sentimentos e as vontades dela. Não precisa ser o cara perfeito, ninguém está esperando por alguém assim. Apenas não seja o babaca que entra na vida dela para decepcioná-la.

Seja diferente, não seja mais um imbecil que deixou mais lágrimas que alegrias, mais decepções que orgulhos, mais cicatrizes que boas lembranças. Se você tem a intenção de entrar na vida dela, faça isso com dignidade. Seja o melhor cara da vida dela, mesmo que um dia acabe, mesmo que ela decida não ficar com você.

Porque ganhar e perder faz parte do jogo, mas ser babaca é uma opção.

Não perca tempo com amores difíceis

naoeprca

Chamamos de conquista. É a justificava que se utiliza para esforçar-se e correr atrás de alguém que – em um primeiro momento – não está tão afim de você. Geralmente é assim, se quer o que não se pode ter. Deseja-se o que parece inatingível.

O problema disto é que, na maioria das vezes, não vale a pena. Acaba tornando-se um desgaste emocional que, no fim das contas, se transforma apenas em desperdício de energia. Agradar alguém que não tem interesse em ficar com você é perda de tempo. Querer estar com alguém que não tem como prioridade te ter ao seu lado é perda de vida.

Às vezes, acredita-se que algumas pessoas são tão ótimas no imaginário que se cria delas, que vale a pena pagar qualquer preço para tê-las em suas vidas, para que elas se tornem as protagonistas do seu dia-a-dia.

A verdade é que ninguém merece tanto esforço assim. É errado mudar a sua essência, os seus gostos e o seu jeito para tentar encaixar-se em outra pessoa. Bom mesmo é quando chega alguém que te admira por quem você é, sem máscaras, sem teatros e sem maquiagens. O bacana é quando chega alguém que se apaixona pelas suas imperfeições e vê nas suas limitações, motivos para continuar aqui.

Quando é pra ser, a pessoa gosta de você mesmo se aparecer na vida dela de pijama na padaria em um domingo de manhã. Porque quando chega alguém que é para ficar tudo é simples.  Ela ri das suas piadas, gosta do seu cheiro e se sente em paz na sua companhia. É harmônico, como se ela já soubesse o roteiro a ser seguido.

Desconfie se uma pessoa é difícil. Se a conversa não tem continuidade ou encontrar-se com ela é custoso. Não há dificuldade quando existe vontade, é apenas falta de interesse. Não precisa gastar energia demonstrando o seu valor para alguém que não quer enxergar a beleza que é fazer parte dos seus dias.

Bom mesmo é ser natural. Acreditar que, um belo dia, alguém que compreenda o seu valor aparecerá. Alguém que acredite na magnificência que está em você – além do pijama de bolinhas ou da conversa sobre gostos musicais. Alguém que te permita demonstrar o seu mundo por vontade própria.

Porque a melhor parte da vida é quando chega alguém que te faz ver a vida simples, quando a conversa não se torna uma estratégia de xadrez e sair para ver o entardecer não precisa de burocracias. Alguém com quem se possa conversar sobre a lua, a vida, o futuro e os seriados atuais, sem perder o entusiasmo.

O melhor momento desta odisseia de relacionamentos é quando chega alguém que te traz a certeza de que você é a melhor pessoa do mundo sendo exatamente quem você é. Não é disto que todos precisam?

A vida já é complicada o suficiente para querer amores difíceis também.